TemaCast

A Society, Culture and History podcast
 4 people rated this podcast

Best Episodes of TemaCast

Mark All
Search Episodes...
Retrô 2018: Este será, como de costume, o último episódio do ano. O Temacast entrará de férias e deverá retornar em março de 2019. Dessa maneira, aproveitamos para desejar a todos um excelente final de ano e um início de ano novo super legal. Ah! Não se esqueçam de botar juízo na cabeça nas festas que estão por vir. Não dirijam depois de beber e se beberem peguem um carro de aplicativo. Nós queremos encontrar todos com muita saúde no ano que vem. Retrô 2018: Como sempre fazemos, também neste episódio, Retrô 2018, iremos falar sobre vários acontecimentos deste ano que está chegando ao fim. Sempre optamos por falar das coisas que não foram muito divulgadas nas mídias de massa. Entretanto, desta vez também falamos de assuntos que foram muito divulgados devido ao calibre dos mesmos e do impacto que tiveram em nossas vidas. Entre outros assuntos falamos de vários prêmios conquistados por brasileiros em diversas áreas. Se você não viu nada disso pelos jornais esta será a oportunidade de conhecer. Também falamos sobre o crânio de Luzia, a mulher mais antiga do Brasil e das Américas, que resistiu ao incêndio ao Museu Nacional no Rio de janeiro, no último dia 2 de setembro. Não deixe de conhecer uma jovem da periferia que se formou em Harvard foi eleita Deputada Federal por SP. Ela foi a sexta candidata mais votada com mais de 264 mil votos... Saiba mais sobre outros assuntos ouvindo o episódio Retrô 2018 - férias.   AJUDE O TEMACAST A CRESCER Patreon Apoia.se PARTICIPANTES Francisco Seixas @temacast Jorge Virgílio (Facebook) FONTES Fontes diversas VITRINE Thiago Gonçalves (concepção) NOSSA PLAYLIST NO SPOTIFY: Link NOSSO GRUPO NO FACEBOOK Se você quer participar do nosso grupo basta ir AQUI. Participando você poderá sugerir pautas, interagir com outros ouvintes do Temacast, participar de sorteios e saber com antecedência de várias coisas que ocorrerão num futuro breve. ASSINAR Feed | iTunes | Android | Email
Guerra de Farrapos - Também é chamada de Revolução Farroupilha ou Decênio Heróico, foi um movimento que eclodiu no Rio Grande do Sul e configurou-se, na mais longa revolta brasileira. Durou 10 anos (1835 - 1845) e foi liderada pela classe dominante gaúcha, formada por fazendeiros de gado, que usou as camadas pobres da população como massa de apoio no processo de luta. O Rio Grande do Sul, estava esgotado pela sequência de guerras, a última das quais tinha sido a campanha da Cisplatina, com as estâncias e charqueadas produzindo pouco, com os rebanhos esgotados e sem que o império brasileiro pagasse as indenizações de guerra, apesar de enriquecer com as exportações de café e açúcar do centro do País. Os impostos sobre o gado em pé e sobre a arroba de charque - principais produtos da Província - eram escorchantes. Todos os produtos da pecuária pagavam dízimo. Cada arroba exportada pagava 600 réis de taxa e cada légua de campo pagava 100 mil réis de imposto anual. O pior porém é que o centro do Brasil preferia comprar o charque platino ao invés do rio-grandense que era produzido pelo braço escravo das charqueadas e, portanto, caro. O charque uruguaio ou argentino, fruto do braço assalariado nos intervalos das infindáveis guerras e revoluções do Prata, era vendido no Rio de Janeiro e São Paulo bem mais barato que o charque rio-grandense. Não se deve nessa época falar em contrabando, porque a fronteira sul do Rio Grande era indefinida. Até bem pouco a Cisplatina era província do império e muitos estancieiros brasileiros ou orientais tinham campos no Uruguai e também no Rio Grande, sendo impossível dizer onde terminava o Brasil e onde começava a República Oriental do Uruguai - em organização. Saiba mais sobre isso ouvindo este episódio... PARTICIPANTES Francisco Seixas @temacast Igor Alcantara (igoralcantara) FONTES  Só história GuerraFarroupilha Outras fontes VEJA MAIS Vídeo sobre o assunto VITRINE Thiago Gonçalves MÚSICAS DESTE EPISÓDIO ■ Hino República Rio Grandense ■ Grupo Caverá  - Gaudêncio Sete luas ■ Allex  - Estrela Guria ■ Raul Ellwanger - Pealo de Sangue ■ Os Serranos - Baile da Mariquinha ■ Allex - Recuerdos da 28 ■ Leopoldo Rassier - Cordas de Espinho ■ Victor Hugo - Vento Negro ■ José Claudio Machado - Quando Sopra o Minuano ■ Noel Guarany - Romance do Pala Véio ■ Daniel Torres - Canto Alegretense ■ Os Farrapos - Me Comparando ao Rio Grande ■ Leopoldo Rassier - Veterano ■ Grupo Caverá - Os Homens de Preto ■ Victor Hugo - Desgarrados ■ Renato Borghetti - Milonga Para as Missões ■ Allex - Esquilador ■ Dante Rámon Ledesma - América Latina ■ Allex - Cantiga de Rio e Remo ■ Leopoldo Rassier - Não Podemo se entregá pros Home ■ Leopoldo Rassie - Entardecer ■ Os Serranos - É disso que o velho gosta ■ Isabela Fogaça - Porto Alegre é demais ■ Kleiton & Kledir - Fonte da saudade ■ Kleiton & Kledir - Maria fumaça ■ Kleiton & Kledir - Deu pra ti ■ Kleiton & Kledir - Tô que tô ■ Kleiton & Kledir - Nem pensar TEMACAST NA RideFM O Temacast é reproduzido todas as 2ª feiras as 15:00h com reprise as 21:00h pela RideFM no endereço abaixo RideFM NOSSO GRUPO NO FACEBOOK Se você quer participar do nosso grupo basta ir em AQUI. Participando você poderá sugerir pautas, interagir com outros ouvintes do Temacast, participar de sorteios e saber com antecedência de várias coisas que ocorrerão num futuro breve.
Guerra Peninsular (fuga da família real portuguesa): A Guerra Peninsular, que na Espanha é conhecida como Guerra de Independência Espanhola, aconteceu entre 1807 e 1814 e estava envolvida em uma série de conflitos que historiadores convencionaram chamar de Guerras Napoleônicas. Portugal e Espanha entraram nesse balaio geopolítico, mas o principal alvo de Napoleão nessa confusão era a Inglaterra. Então, antes de falarmos da Guerra Peninsular, vamos entender as causas disso. Vamos lembrar que a França passou por grandes transformações no Século XVIII. O país ainda era governado por um rei absolutista, Luís XVI, mas somando as ideias do iluminismo com a independência dos EUA, o povo já questionava a autoridade do rei. O iluminismo era um movimento filosófico com forte teor liberal burguês. E, como liberal, pregava uma redução do poder do Estado. Entenda que já estamos no Século XVIII, mas a estrutura social francesa lembrava muito a medieval, com três grupos sociais diferentes, cada um com direitos e deveres distintos. Havia o Primeiro Estado, composto principalmente pelo clero; o Segundo Estado, que abrigava os nobres; e o Terceiro Estado, que era o povo em si. Os privilégios eram apenas dos dois primeiros grupos, mas só o terceiro pagava impostos. E, claro, todo mundo estava sob as ordens supremas do Rei, que era a lei. Saiba mais sobre isso ouvindo Guerra Peninsular (fuga da família real portuguesa). AJUDE O TEMACAST A CRESCER Patreon Apoia.se PARTICIPANTES Francisco Seixas @temacast Igor Alcantara (igoralcantara) Jorge Virgílio (Facebook) FONTES Peninsularwar.org Arqnet.pt armchairgeneral.com gguerras.wordpress.com Livro: Espanha: Política e Cultura, Abrão, Janete. Outras fontes VITRINE Thiago Gonçalves (concepção) MÚSICAS DESTE EPISÓDIO Hino Nacional de Portugal (YouTube) - Epic Music Soundtrack (Battle music) (YouTube) - 1 Hour Orchestral Dubstep Instrumental Core Vol 1 Kim Carnes - Bette Davis Eyes Enigma - The Child In Us Bonnie Tyler - Total Eclypse of the Heart Ryan Star - Brand new day NOSSA PLAYLIST NO SPOTIFY: Link NOSSO GRUPO NO FACEBOOK Se você quer participar do nosso grupo basta ir AQUI. Participando você poderá sugerir pautas, interagir com outros ouvintes do Temacast, participar de sorteios e saber com antecedência de várias coisas que ocorrerão num futuro breve.
As revoluções russas [2/2]: Em As revoluções russas [2/2] é onde falaremos sobre a ascensão dos bolcheviques de Vladmir Lenin. Com a morte prematura do pai e a execução do irmão, Lenin ficou extremamente abalado emocionalmente, passando a ter um comportamento agressivo e confrontador com a família, agora liderada pela mãe, Maria Ulyanov. Neste ano, por exemplo, Lenin abandonou a religião católica ortodoxa passando a se declarar ateu. Apesar da rebeldia, Lenin continuou estudando, tendo se formado no equivalente ao Ensino Médio russo como o melhor aluno, recebendo a medalha de ouro. Em agosto do mesmo ano, entrou para ao curso de direito da Universidade Imperial de Kazan. Na Universidade de Kazan, Lenin entrou para a zemlyachestvo de Simbirsk, do qual se tornou presidente do conselho universitário. Essas zemlyachestvos eram comunidades regionais russas formadas por aqueles que viviam fora da sua região de origem, fossem eles estudantes, negociantes ou trabalhadores emigrados (seria o equivalente, no Brasil, dos centros de tradições nordestinas ou de tradições gaúchas que existem, por exemplo, no Rio de Janeiro). Saiba mais sobre isso ouvindo As revoluções russas [2/2]. AJUDE O TEMACAST A CRESCER Patreon   Apoia.se PARTICIPANTES Francisco Seixas @temacast Jorge Virgílio (Facebook) FONTES Livro: “Os dez dias que abalaram o mundo”, John Reed Livro: “História da Revolução Russa”, Trotsky Livro: “Russia and the Russians: A History”, Geoffrey A. Hosking Livro: “Russia in the Age of Reaction and Reform 1801-1881”, David Saunders Livro: “O que fazer?”, Nikolai Tchernichevski Artigo: “N.G. Chernyshevsky: A Russian Utopia”, Joseph Fran Outras fontes TRANSCRIÇÃO DO ÁUDIO Equipe de Transcrição: Carlos Barbosa - Linkedin Fernanda Marini - Twitter: @femarini Karla Michelle Braga - Facebook Rafael Rezende - Twitter: @KoreiaPS Link: Em andamento   VITRINE Thiago Gonçalves (concepção) MÚSICAS DESTE EPISÓDIO Red Army Choir - The Hunt For Red October The Best of Prokofiev Alexandrov Red Army Choir - The Sacred War NOSSA PLAYLIST NO SPOTIFY: Link NOSSO GRUPO NO FACEBOOK Se você quer participar do nosso grupo basta ir AQUI. Participando você poderá sugerir pautas, interagir com outros ouvintes do Temacast, participar de sorteios e saber com antecedência de várias coisas que ocorrerão num futuro breve. ASSINAR Feed | iTunes | Android | Email
Temachat 14 Este é um episódio especial do Temacast e nele você vai encontrar a leitura de emails e comentários enviados pelos nossos ouvintes. Temachat 14 Os comentários, emails, mensagens de voz e avaliações na iTunes Store deste episódio foram realizados pelos nossos ouvintes no período de 05 de novembro de 2018 a 20 de dezembro de 2018. Se você também quiser participar com a sua opinião, crítica, sugestão e elogios entre em contato conosco através da nossa página de contato ou faça seus comentários nos posts dos episódios. Saiba mais sobre isso ouvindo Temachat 14 AJUDE O TEMACAST A CRESCER Patreon Apoia.se PARTICIPANTES Francisco Seixas @temacast Jorge Virgílio (Facebook) VITRINE Thiago Gonçalves (concepção) MÚSICAS DESTE EPISÓDIO Carpenters - Please Mr. Postman Robert Miles ft Maria Nayler - One And One Dr. John - Such A Night David Bowie - Lady Grinning Soul Haddaway - What Is Love Françoise Hardy - Message personnel Gallagher & Lyle - In Your Eyes Lisa Stansfield - Never, never gonna give you up Kimblee - Fade The Police - Message in a Bottle No Doubt - Don´t Speak Phil Collins - Something Happened On The Way To Heaven Phil Collins - Do You Remember Phil Collins - One More Night Phil Collins - Another Day In Paradise NOSSA PLAYLIST NO SPOTIFY: Link NOSSO GRUPO NO FACEBOOK Se você quer participar do nosso grupo basta ir AQUI. Participando você poderá sugerir pautas, interagir com outros ouvintes do Temacast, participar de sorteios e saber com antecedência de várias coisas que ocorrerão num futuro breve. ASSINAR Feed | iTunes | Android | Email
Bob Dylan: No dia 24 de Maio de 1941 nascia Robert Allen Zimmerman. O parto aconteceu no Saint Mary’s Hospital da cidade de Duluth, estado norte-americano de Minnesota. Filho de Abram Zimmerman e Beatrice Stone, seus avós paternos fugiram do Império Russo, em uma cidade hoje pertencente à Ucrânia, Odessa) para os Estados Unidos em 1905 durante o Massacre aos Judeus que aconteceu lá.Seus avós maternos vieram três anos antes junto com vários judeus da Lituânia que emigraram para a América no início do Século XX. Mas, voltando à infância do nosso amigo Bob Dylan, ele viveu em sua cidade natal, Duluth, em Minnesota, até os seis anos de idade, até que o seu pai teve pólio e a família acabou se mudando para a cidade natal de sua mãe, Hibbing, também no nordeste de Minnesota, onde ele viveu o restante da infância. Lá, ele começou a ouvir rádios de blues e country de Shreveport, cidade do estado vizinho, Louisiana. Depois, quando ele já era adolescente, ele passou a ouvir rádios que se especializaram em um novo estilo de música que era bem controverso na época. Ou sejam, o bom e velho Rock and Roll! Nos anos em que cursou o ensino médio na Hibbing High School ele participou de várias bandas de rock que faziam covers de Elvis Presley e Little Richard. As bandas chegaram a se apresentar algumas vezes em eventos locais, mas nada muito sério. Aliás, Bob Dylan não achava que o Rock and Roll era algo sério... Saiba mais sobre Bob Dylan ouvindo este episódio. PARTICIPANTES Francisco Seixas @temacast Igor Alcantara (igoralcantara) Jorge Virgílio (Facebook) FONTES Biografy.com Wikipedia (inglês) James Meredith Rolling Stone.com http://bobdylan.com/ Rolling Stone.com The Famous People Nobel Prize Song writer shall of fame Britannica VEJA MAIS Vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=wVeAZUIWl6Q Filme: No Direction Home VITRINE Thiago Gonçalves (concepção) MÚSICAS DESTE EPISÓDIO Blowin in The Wind Woody Guthrie - This Land Is Your Land Mr Tambourine Man The times they are a changin' Subterranean Home Sick Blues Bob Dylan - Like a Rolling Stone The Rolling Stones - Like a Rolling Stone Lay Lady Lay Alphaville - Forever Young Bob Dylan - Forever Young Hurricane Masters Of War Someday Baby Knockin' On Heaven's Door Desolation Row NOSSA PLAYLIST NO SPOTIFY: Link NOSSO GRUPO NO FACEBOOK Se você quer participar do nosso grupo basta ir AQUI. Participando você poderá sugerir pautas, interagir com outros ouvintes do Temacast, participar de sorteios e saber com antecedência de várias coisas que ocorrerão num futuro breve.
Fundação de São Vicente: A notícia do descobrimento da Ilha ou Terra de Vera Cruz por Pedro Álvares Cabral, em abril de 1500, pouco interessou ao monarca D. Manuel I, então rei de Portugal. A carta, em que D. Manuel I comunicou aos demais reis católicos o descobrimento feito por Pedro Álvares Cabral tem ao todo 8 páginas e cerca de 311 linhas, e destas apenas 3 linhas se referem à terra de Vera Cruz. Tão insignificante foi este fato para os portugueses no início do séc. XVI, que ele sequer foi mencionado na lápide de Pedro Álvares Cabral, quando este foi sepultado por volta de 1520 numa igrejinha da cidade de Santarém, em Portugal. A única inscrição na lápide de Pedro Álvares Cabral mencionava apenas que ele havia sido casado com uma das camareiras de uma princesa portuguesa, que foi aparentemente a única distinção do navegador para os portugueses daquela época. Nesse período, conhecido como era Manuelina, Portugal, seu povo e o rei (D. Manuel) estavam completamente absorvidos pelo opulento e relativamente fácil comércio com as Índias, cujo caminho marítimo os seus perseverantes e audazes marinheiros haviam descoberto, destacando-se entre eles, o maior de todos, Vasco da Gama, o maior herói português da era das grandes navegações. Fundação de São Vicente ...em São Vicente, Martim Afonso conheceu um misterioso náufrago português chamado João Ramalho, que veio ao seu encontro ao saber da sua presença na ilha. Pouco se sabe do passado de João Ramalho e como afinal ele veio parar no Brasil. Seja como for, ele acabou indo parar na região onde hoje está a cidade de São Paulo e ali se tornou íntimo de um dos principais líderes dos tupiniquins do vale do Tietê, Tibiriçá, morubixaba da aldeia de Piratininga, tendo inclusive casado com algumas de suas filhas, a mais conhecida entre elas, a índia Bartira. João Ramalho era muito influente entre os indígenas dessa região podendo arregimentar cerca de 5 mil guerreiros em um único dia, todos ligados a ele por relações de parentesco (só um comentário: na cultura tupi, os guerreiros só vão à guerra para defender e vingar seus parentes, portanto, o apoio bélico de uma tribo dependia de você ser casado com uma mulher daquele grupo). João Ramalho teve uma numerosa descendência na região e por essa razão recebeu a alcunha de “pai dos paulistas”... Saiba mais sobre isso ouvindo sobre a Fundação de São Vicente. AJUDE O TEMACAST A CRESCER Patreon Apoia.se PARTICIPANTES Francisco Seixas @temacast Jorge Virgílio (Facebook) FONTES Livro: "Na Capitania de São Vicente”, Washington Luís Livro: “Anais de D. João III”, Frei Luís de Sousa Outras fontes VITRINE Thiago Gonçalves (concepção) MÚSICAS DESTE EPISÓDIO Worlds Most Stunning Beautiful Instrumental Music (YouTube) Deep & Wide - Castillos de Arena NOSSA PLAYLIST NO SPOTIFY: Link NOSSO GRUPO NO FACEBOOK Se você quer participar do nosso grupo basta ir AQUI. Participando você poderá sugerir pautas, interagir com outros ouvintes do Temacast, participar de sorteios e saber com antecedência de várias coisas que ocorrerão num futuro breve. ASSINAR Feed | iTunes | Android | Email
As gueixa: A palavra “gueixa” é um nome próprio e, como todos os nomes japoneses, não têm variantes no número gramatical, portanto o correto é dizermos as gueixa e não as gueixas. A palavra original consiste em dois kanji, (gei), que significa “arte” e (sha), que significa “pessoa” ou “praticante”. Portanto, a tradução literal de gueixa para a língua portuguesa é artista. As gueixa Símbolo de poder e sedução, as gueixa estão intimamente ligadas à história e cultura tradicional do Japão. Sua figura carrega mistérios que até hoje fascinam muitas pessoas ao redor do mundo. Muito se fala e se discute, principalmente no ocidente, sobre a figura e o papel da gueixa na sociedade japonesa. Na prática, poucos ocidentais, e mesmo japoneses, tiveram ou têm contato com uma gueixa. Há poucas gueixa verdadeiras, e em público, elas só aparecem em poucas ocasiões, como no Jidai Matsuri (Festival das Eras) e na temporada de danças tradicionais Kamogawa Odori (Danças do Rio Kamo), que ocorrem em outubro, em Kyoto. Fora tais ocasiões, alguns sortudos turistas conseguem vê-las andando pelas ruas, nas raras vezes em que elas vão ter aulas de dança, de shamisen (cítara de três cordas tradicional) ou de ikebana (arranjo floral), ou ainda quando elas vão a caminho de um restaurante para entreter algum empresário ansioso em impressionar os seus convidados. Ser servido ou entretido por uma gueixa, mesmo entre os japoneses, é um privilégio de poucos. Saiba mais sobre isso ouvindo As gueixa. AJUDE O TEMACAST A CRESCER Patreon Apoia.se PARTICIPANTES Francisco Seixas @temacast Jorge Virgílio (Facebook) FONTES Livro: “Minha Vida como gueixa”, por Mineko Iwasaki e Rande Brown. Editora Best Seller, 2006. O Japão - Dicionário e civilação Cultura japonesa Nipo cultura Revista Galileu Documentário BBC (Inglês): “Geisha Girl” (YouTube) Outras fontes VEJA MAIS Vídeo: Maquiagem de uma gueixa TRANSCRIÇÃO DO ÁUDIO Equipe de Transcrição: Carlos Barbosa - Linkedin Fernanda Marini - Twitter: @femarini Karla Michelle Braga - Facebook Rafael Rezende - Twitter: @KoreiaPS Link: Em andamento   VITRINE Thiago Gonçalves (concepção) MÚSICAS DESTE EPISÓDIO Música Japonesa (YouTube) NOSSA PLAYLIST NO SPOTIFY: Link NOSSO GRUPO NO FACEBOOK Se você quer participar do nosso grupo basta ir AQUI. Participando você poderá sugerir pautas, interagir com outros ouvintes do Temacast, participar de sorteios e saber com antecedência de várias coisas que ocorrerão num futuro breve. ASSINAR Feed | iTunes | Android | Email
Inês de Castro - A Rainha Morta: Antes de entrarmos no tema propriamente dito deste episódio [ Inês de Castro - A Rainha Morta ] é preciso contextualizar a situação em que vivia a Península Ibérica naqueles tempos. Após a queda do Império Romano, a antiga província romana da Hispânia foi invadida por germânicos cristianizados vindos do leste europeu: os visigodos. [Hispânia correspondia ao que é hoje os territórios de Espanha e Portugal ]. Entretanto, a partir do século VIII, os reinos cristãos acabaram sendo repelidos por um novo e mais poderoso invasor: os mouros islamizados. O islamismo, que havia surgido no século 7 na península arábica, havia conseguido unificar todos os territórios da costa africana do mar mediterrâneo e grande parte do oriente médio e da Ásia Menor, trazendo grande prosperidade econômica e tecnológica para a região. Assim no início do século 8, os mouros (que eram os descendentes dos árabes com os povos nativos do norte da África) acabaram por atravessar o estreito de Gibraltar e invadir a península ibérica. Após derrotarem Rodrigo, o último rei dos visigodos, na Batalha de Guadalete, no sul da Hispânia, no ano 711, os muçulmanos decidiram estabelecer-se em definitivo na península, a qual rebatizaram para Al-Andalus. Após a conquista moura, o único reino cristão remanescente na Hispânia foi o Reino das Astúrias, localizado na Cordilheira Cantábrica, uma região montanhosa de difícil acesso, bem ao norte da península. Durante os 800 anos de dominação islâmica que se seguiram, o Reino das Astúrias foi o principal refúgio da resistência cristã... Saiba mais sobre isso ouvindo Inês de Castro - A Rainha Morta. PARTICIPANTES Francisco Seixas @temacast Igor Alcantara (igoralcantara) Jorge Virgílio (Facebook) FONTES Partiu pelo mundo UOL Livro: Lopes, Fernão. “Crônicas”, Rio de Janeiro, Agir, 1968, p.23 VEJA MAIS [caption id="attachment_1793" align="alignnone" width="640"] Rocha na Quinta das lágrimas[/caption] VITRINE Thiago Gonçalves (concepção) MÚSICAS DESTE EPISÓDIO Pedro Macedo Camacho - Requiem Inês de Castro V Agnus Dei (Coimbra 2014) Soprano Carla Caramujo Álbum: Alfonso X el Sabio Cantigas Santa Maria (1221 - 1284) Intro (CSM 176) Santa Maria, Strela Do Dia (CSM 100) Pero Cantigas De Loor (CSM 400) Instrumental (CSM 123) Muito Faz Grand'erro (CSM 209) Por Nos De Dulta Tirar (CSM 18) Instrumental (CSM 142) Pode Por Santa Maria (CSM 163) Miragres Fremosos Faz Por Nos (CSM 37) Instrumental (CSM 77-119) De Toda Chaga Ben Pode Guarir (CSM 126) Pero Que Seja A Gente (CSM 181) Conclusion (CSM 176) Cari Giorni - Ines de Castro (Giuseppe Persiani) Abba - Dancing Queen F.R. David - Words Gladys Knight & The Pips - For Once In My Life Journey - Don't Stop Believin' NOSSA PLAYLIST NO SPOTIFY: Link NOSSO GRUPO NO FACEBOOK Se você quer participar do nosso grupo basta ir AQUI. Participando você poderá sugerir pautas, interagir com outros ouvintes do Temacast, participar de sorteios e saber com antecedência de várias coisas que ocorrerão num futuro breve.
História do cinema (Alice Guy Blaché): Em meados do século XIX, um jovem francês chamado Émile Guy se estabeleceu na América do Sul, no Chile, onde fundou uma rede de livrarias nas cidades de Santiago e Valparaiso. Em 1863, Émile retornou à França para se casar com a jovem Marie Clotilde, ou Mariette, que havia conhecido por cartas por intermédio de seus parentes. Logo, após se casarem, Émile retornou com a esposa para o Chile. Eles tiveram quatro filhos no Chile entre 1863 e 1872. Após dez anos vivendo no Chile, o casal decidiu ir visitar os parentes na França e Mariette acabou chegando grávida por lá. Assim, em 1º de julho de 1873, na cidade de Saint-Mandé, uma cidade vizinha à Paris, nascia o quinto bebê do casal Guy, Alice Guy. Alguns meses após o nascimento da menina Alice, o casal Guy retornou ao Chile. No entanto, eles preferiram não arriscar trazer a recém-nascida na fatigante e perigosa viagem de navio. Por isso , a bebê Alice acabou sendo enviada para a casa dos avós em Carouge, na Suíça. História do cinema (Alice Guy Blaché) ...De 1896 a 1920, ela dirigiu mais de mil filmes, mas apenas uns trezentos e cinquenta sobreviveram até os dias dias atuais, sendo vinte e dois deles longa-metragens. Alice também foi uma das primeiras mulheres, junto da estadunidense Lois Weber, a ter seu próprio estúdio. Em vida, ela foi homenageada algumas vezes: a primeira na Exposição Universal de 1900 como colaboradora dos Estúdios Gaumont... Saiba mais sobre isso ouvindo História do cinema (Alice Guy Blaché). AJUDE O TEMACAST A CRESCER Patreon Apoia.se PARTICIPANTES Francisco Seixas @temacast Jorge Virgílio (Facebook) FONTES Livro: The Memoirs of Alice Guy Blaché, por ela mesma. Livro: Alice Guy Blaché: Lost Visionary of the Cinema, Alice Guy Blaché: Lost Visionary of the Cinema Documentário: “O Jardim Perdido: A Vida e o Cinema de Alice Guy-Blaché“, 1995 Outras fontes DOCUMENTÁRIOS CITADOS NO EPISÓDIO The Lost Garden E a Mulher Criou Hollywood VITRINE Thiago Gonçalves (concepção) MÚSICAS DESTE EPISÓDIO Cinema Paradiso - YouTube NOSSA PLAYLIST NO SPOTIFY: Link NOSSO GRUPO NO FACEBOOK Se você quer participar do nosso grupo basta ir AQUI. Participando você poderá sugerir pautas, interagir com outros ouvintes do Temacast, participar de sorteios e saber com antecedência de várias coisas que ocorrerão num futuro breve. ASSINAR Feed | iTunes | Android | Email
A fundação de Santos: Para uma terra que, na visão europeia, era desprovida de tudo, imensa, sem esperanças de reluzentes minas de ouro, prata e cristais, que era habitada por indígenas ferozes e canibais, para um lugar visto assim só viriam homens que o rei mandasse em serviço, homens degradados da metrópole condenados pelas suas leis criminais, náufragos sobreviventes de expedições malfadadas, trabalhadores escravizados ou semi escravizados que fugiam de navios, ou homens de fé, catequistas, movidos pelo juramento de espalhar a sua religião. Foram poucos, muito poucos, os que vieram habitar o Brasil em princípios do séc. XVI. Alguns nomes desses primeiros colonizadores aparecem nas Atas das câmaras municipais e nos livros de inventários e testamentos brasileiros, e são essas em grande parte as fontes primárias que nos contam o início da história do país. A fundação de Santos Ao retirar-se para Portugal, nos meados de 1533, Martim Afonso de Sousa deixou na vila que havia fundado pouca gente do pessoal que veio com a sua frota. As terras de São Vicente nenhum atrativo tinham para reter aventureiros, ansiosos por enriquecer rapidamente. No litoral, nas baixadas, nos pântanos e brejos em que se formavam mais mangues que canaviais, eram poucos os locais propícios à instalação de engenhos de açúcar. Na serra de Paranapiacaba, que contorna asperamente o mar, as terras eram as piores possíveis, do atual Estado de S. Paulo, para a agricultura. Saiba mais sobre isso ouvindo sobre a fundação de Santos. AJUDE O TEMACAST A CRESCER Patreon Apoia.se PARTICIPANTES Francisco Seixas @temacast Jorge Virgílio (Facebook) FONTES Livro: “Cartas Jesuíticas do Brasil”, vários autores. Livro: “Na Capitania de São Vicente”, Washington Luís. “Anais de D. João III”, Frei Luís de Sousa. Livro: “História Geral do Brasil”, Francisco Varnhagen. Outras fontes TRANSCRIÇÃO DO ÁUDIO Equipe de Transcrição: Karla Michelle Braga - Facebook Fernanda Marini - Twitter: @femarini Link: Em andamento VITRINE Thiago Gonçalves (concepção) MÚSICAS DESTE EPISÓDIO Best Epic Instrumental Music (YouTube) NOSSA PLAYLIST NO SPOTIFY: Link NOSSO GRUPO NO FACEBOOK Se você quer participar do nosso grupo basta ir AQUI. Participando você poderá sugerir pautas, interagir com outros ouvintes do Temacast, participar de sorteios e saber com antecedência de várias coisas que ocorrerão num futuro breve. ASSINAR Feed | iTunes | Android | Email
Leitura de emails acumulados Como os ouvintes puderam notar, com a publicação da trilogia sobre a Guerra do Paraguai (episódios 48, 49 e 50), e devido ao fato dos mesmos ficaram bem grandes, optamos por não fizer a leitura dos emails e comentários que recebemos neste período. Os contatos dos nossos ouvintes, portanto, estavam acumulados desde o episódio 47 sobre a Lei de Murphy . Como é nosso compromisso dar retorno aos que nos prestigiam com seu contato, estamos lançando, extraordinariamente, este episódio somente com a leitura de emails acumulados bem como os comentários realizados nos posts e avaliação feitas na iTunes Store. A partir do próximo episódio voltaremos a publicar esse conteúdo como normalmente fazemos, ou seja, junto com o episódio. Portanto, vamos lá! Comentem, mandem seus emails escritos ou de voz. Obrigado PARTICIPANTES Francisco Seixas @temacast Jorge Virgílio (Facebook) VITRINE Thiago Gonçalves (concepção) MÚSICAS DESTE EPISÓDIO The Police - Message in a Bottle Françoise Hardy - Message personnel Gallagher & Lyle - In Your Eyes Dr. John - Such A Night David Bowie - Lady Grinning Soul Kimblee - Fade (Original Mix) Bob Sinclair - World, Hold On Haddaway - What Is Love Lisa Stansfield - Never, never gonna give you up Robert Miles ft Maria Nayler - One And One No Doubt - Don´t Speak NOSSA PLAYLIST NO SPOTIFY: Link NOSSO GRUPO NO FACEBOOK Se você quer participar do nosso grupo basta ir AQUI. Participando você poderá sugerir pautas, interagir com outros ouvintes do Temacast, participar de sorteios e saber com antecedência de várias coisas que ocorrerão num futuro breve.
Dia do Podcast: Hoje, 21 de outubro de 2015, estamos comemorando o segundo ano do #DiaDoPodcast. Com a intenção de promover a data e a mídia podcast, gravamos um papo informal falando sobre o assunto. No dia 30 de Setembro de 2014 foi comemorado o primeiro #PodcastDay nos Estados Unidos. Essa ação foi criada pelo podcaster americano Steve Lee (Netcast Studio) e visa propagar a mídia para o mundo inteiro, atingir o máximo de pessoas possível. Em apenas um ano de existência, o PodcastDay conseguiu um alcance muito maior do que eles mesmo esperavam e já está em desenvolvimento o International #PodcastDay para 2015. Saiba mais... PARTICIPANTES Francisco Seixas @temacast Armando Galleni (NossoCast) Fabrício Soares (Promontório Estéril) Thiago Miro (MundoPodcast) VEJA MAIS O que é Podcast História do Podcast #DiadoPodcast VITRINE Thiago Gonçalves NOSSO GRUPO NO FACEBOOK Se você quer participar do nosso grupo basta ir AQUI. Participando você poderá sugerir pautas, interagir com outros ouvintes do Temacast, participar de sorteios e saber com antecedência de várias coisas que ocorrerão num futuro breve.
- Temacast - 1º Aniversário - Este é o nosso episódio #26 e é também quando fechamos o nosso 1º ano de atividade. Nós iremos falar sobre o hábito de se comemorar aniversários e de quebra vamos falar um pouco sobre como tudo começou e trazer vários depoimentos de amigos para celebrar conosco a data. Bom, primeiramente vamos falar sobre comemorações de aniversário. De acordo com o livro The Lore of Birthdays ("A Sabedoria dos Aniversários", sem tradução em português), dos antropólogos americanos Ralph e Adelin Linton, aniversários merecem comemorações desde o Egito antigo, ou seja, a moda surgiu por volta de 3000 a.C. Tanto os egípcios quanto os gregos, que adotaram o costume, restringiam as comemorações apenas a seres superiores: faraós e deuses. Com o tempo, o hábito foi se estendendo aos mortais e contaminou também os romanos, que davam o privilégio ao imperador, a sua família e aos senadores. Nos primórdios do cristianismo, o costume foi abolido por causa das suas origens pagãs. Foi só no século IV que a Igreja começou a celebrar o nascimento de Cristo, o Natal. Daí, ressurgiu o hábito de festejar aniversários e pouco a pouco foram surgindo as peças simbólicas: o bolo, as velinhas, o "parabéns a você"... Saiba mais sobre isso ouvindo este episódio... PARTICIPANTES Francisco Seixas @temacast Igor Alcantara (igoralcantara) DEPOIMENTOS  Thiago Miro (MundoPodcast) Fabrício Soares (Promontório Estéril) Luciano Pires (Café Brasil) Ira Croft (Mundo Freak) Andrei Fernandes (Mundo Freak) Cliff Rodrigo (PlanoNove) Nelson Imbuzeiro (Blog Na Era do Nerdanderthal) Léo Bruski (Aerolitos) Priscila Guerrero (Facebook) Juliana Torres (Facebook) Vitor Hugo Mota (Agência Transmídia) Silmar Geremia (SciCast) Márcio Etiane (LexCast) José Simão Neto (Grande Coisa) Marcos Daniel (MachineCast) Ronaldo Santos Pereira (Facebook) Rafael Antunes (Blog Filmes e Games) Adonias L. Marques (PapoAlpha) VITRINE Thiago Gonçalves CONCURSOS PARA GANHAR LIVROS 1 - Através da hashtag #AniversarioTemacast O ouvinte deverá escolher o episódio do Temacast que ele mais gostou e compartilhar o link nas redes sociais Twitter e/ou Facebook e utilizar a hashtag #AniversarioTemacast. (ATENÇÃO: Compartilhamentos no Grupo Saiba Mais do Temacast não serão computados) Período: entre 15/08/2015 e 30/08/2015. Será entregue 1 (um) livro do Igor Alcantara a ser escolhido pelo ganhador dentre os 5 que ele já publicou. ■ O ganhador será aquele cujo post for o mais curtido nas redes sociais. As redes sociais participantes são Facebook e Twitter apenas. As curtidas de uma rede não se somam à de outra, são contadas como participações separadas. Caso haja empate entre dois ou mais ouvintes será feito um sorteio. 2 - Através de comentário neste episódio O ouvinte deverá escrever um comentário NESTE episódio dizendo o que o Temacast representa para você, o que ele acrescentou na sua rotina ou que tipo de mudança causou. Enfim, dizer qual é a sua relação com o Temacast. Período: entre 15/08/2015 e 30/08/2015 Será entregue 1 (um) livro do Igor Alcantara a ser escolhido pelo ganhador dentre os 5 que ele já publicou. ■ O ganhador será aquele que receber melhor avaliação pela equipe do Temacast. MÚSICAS DESTE EPISÓDIO ■ Parabéns da Galinha Pintadinha ■ Katy Perry - Birthday ■ Miley Cyrus - We Can't Stop ■ Flo Rida - Let It Roll ■ Katy Perry - This Is How We Do ■ John Newman - Love Me Again ■ Bruno Mars - Locked Out of Heaven ■ Astor Piazzola - Adios Nonino ■ The Doobie Brothers - Long Train Runnin' ■ The Doors - The Changeling ■ The Beatles - Birthday ■ Israel Kamakawiwo'ole - Over The Rainbow  What A Wonderful World ■ Phil Collins - Colours ■ Creedence Clearwater Revival - Proud Mary ■ Kim Carnes - Bette Davis Eyes ■ Akon -  Beautiful ■ Jane Birkin & Serge Gainsbourg - Je T'aime...  Moi Non Plus ■ Al Green - Sha - La - La (Make Me Happy) ■ Oingo Boingo -  Just Another Day ■ Pet Shop Boys - It's A Sin ■ Queen - The Show Must Go On ■ Sade - The Moon and the Sky ■ Scorpions - When The Smoke Going Down ■ Simply Red - Sunrise ■ Will to Power -  I'm Not In Love TEMACAST NA RideFM O Temacast é reproduzido todas as 2ª feiras as 15:00h com reprise as 21:00h pela RideFM no endereço abaixo RideFM NOSSO GRUPO NO FACEBOOK Se você quer participar do nosso grupo basta ir em https://www.facebook.com/groups/temacast.saibamais/. Participando você poderá sugerir pautas, interagir com outros ouvintes do Temacast e saber com antecedência de várias coisas que ocorrerão num futuro breve.
As revoluções russas [1/2]: Antes de entrarmos no assunto As revoluções russas [1/2], precisamos entender como a Rússia estava quando os líderes socialistas russos emergiram e as revoluções pipocaram, precisamos voltar muitos anos no tempo e ir até o século XVII, em 1649, quando a Rússia instituiu no seu código de leis um sistema chamado de Krepostnoie Pravo, que em tradução livre significa “sujeição ao solo”. Essa sujeição ao solo era um regime de servidão que obrigava os camponeses ou servos a permanecerem nas terras de seus senhores por toda a vida. Um sistema que diferia bem pouco de um outro sistema que a gente, aqui no Brasil, conhece bem que é a escravidão propriamente dita, e que também existia na Rússia. Na Rússia, os escravos eram conhecidos como Kholops e eram inferiores aos servos por serem em geral estrangeiros capturados em guerra ou camponeses russos reduzidos à escravidão por dívidas, por se casarem com pessoas de outra etnia ou por terem cometido crimes graves. Essa tal sujeição ao solo foi instituída em todo o czarado russo pelo czar Aleixo I. E ele fez isso devido a crescente fuga de camponeses motivada principalmente pela fome e pelas péssimas condições de trabalho no interior da Rússia. Além disso, nesse ano de 1649, a Guerra Civil Inglesa ou Revolução Puritana, que vinha assombrando os reis da Europa e igualmente o czar russo desde 1642, havia chegado a um clímax sombrio: o exército liderado pelo líder do Parlamento britânico, Lord Oliver Cromwell, havia destronado o rei da Inglaterra, Carlos I, e feito o quê? O decapitado! Atemorizado de que essa moda pudesse pegar lá na Rússia também, o czar Aleixo I determinou, por decreto, que os camponeses russos passariam a ser obrigados a manter-se na terra onde nasceram, sem no entanto possuir essas terras. Saiba mais sobre isso ouvindo As revoluções russas [1/2]. AJUDE O TEMACAST A CRESCER Patreon Apoia.se PARTICIPANTES Francisco Seixas @temacast Jorge Virgílio (Facebook) FONTES Livro: “Os dez dias que abalaram o mundo”, John Reed Livro: “História da Revolução Russa”, Trotsky Livro: “Russia and the Russians: A History”, Geoffrey A. Hosking Livro: “Russia in the Age of Reaction and Reform 1801-1881”, David Saunders Outras fontes TRANSCRIÇÃO DO ÁUDIO Equipe de Transcrição: Carlos Barbosa - Linkedin Fernanda Marini - Twitter: @femarini Karla Michelle Braga - Facebook Rafael Rezende - Twitter: @KoreiaPS Link: Em andamento VITRINE Thiago Gonçalves (concepção) MÚSICAS DESTE EPISÓDIO Romantic Classic - Mikhail Glinka (YouTube) NOSSA PLAYLIST NO SPOTIFY: Link NOSSO GRUPO NO FACEBOOK Se você quer participar do nosso grupo basta ir AQUI. Participando você poderá sugerir pautas, interagir com outros ouvintes do Temacast, participar de sorteios e saber com antecedência de várias coisas que ocorrerão num futuro breve. ASSINAR Feed | iTunes | Android | Email
Guerra de Farrapos - Também é chamada de Revolução Farroupilha ou Decênio Heróico, foi um movimento que eclodiu no Rio Grande do Sul e configurou-se, na mais longa revolta brasileira. Durou 10 anos (1835 - 1845) e foi liderada pela classe dominante gaúcha, formada por fazendeiros de gado, que usou as camadas pobres da população como massa de apoio no processo de luta. O Rio Grande do Sul, estava esgotado pela sequência de guerras, a última das quais tinha sido a campanha da Cisplatina, com as estâncias e charqueadas produzindo pouco, com os rebanhos esgotados e sem que o império brasileiro pagasse as indenizações de guerra, apesar de enriquecer com as exportações de café e açúcar do centro do País. Os impostos sobre o gado em pé e sobre a arroba de charque - principais produtos da Província - eram escorchantes. Todos os produtos da pecuária pagavam dízimo. Cada arroba exportada pagava 600 réis de taxa e cada légua de campo pagava 100 mil réis de imposto anual. O pior porém é que o centro do Brasil preferia comprar o charque platino ao invés do rio-grandense que era produzido pelo braço escravo das charqueadas e, portanto, caro. O charque uruguaio ou argentino, fruto do braço assalariado nos intervalos das infindáveis guerras e revoluções do Prata, era vendido no Rio de Janeiro e São Paulo bem mais barato que o charque rio-grandense. Não se deve nessa época falar em contrabando, porque a fronteira sul do Rio Grande era indefinida. Até bem pouco a Cisplatina era província do império e muitos estancieiros brasileiros ou orientais tinham campos no Uruguai e também no Rio Grande, sendo impossível dizer onde terminava o Brasil e onde começava a República Oriental do Uruguai - em organização. Saiba mais sobre isso ouvindo este episódio... PARTICIPANTES Francisco Seixas @temacast Igor Alcantara (igoralcantara) FONTES  Só história GuerraFarroupilha Outras fontes VEJA MAIS Vídeo sobre o assunto VITRINE Thiago Gonçalves MÚSICAS DESTE EPISÓDIO ■ Hino República Rio Grandense ■ Grupo Caverá  - Gaudêncio Sete luas ■ Allex  - Estrela Guria ■ Raul Ellwanger - Pealo de Sangue ■ Os Serranos - Baile da Mariquinha ■ Allex - Recuerdos da 28 ■ Leopoldo Rassier - Cordas de Espinho ■ Victor Hugo - Vento Negro ■ José Claudio Machado - Quando Sopra o Minuano ■ Noel Guarany - Romance do Pala Véio ■ Daniel Torres - Canto Alegretense ■ Os Farrapos - Me Comparando ao Rio Grande ■ Leopoldo Rassier - Veterano ■ Grupo Caverá - Os Homens de Preto ■ Victor Hugo - Desgarrados ■ Renato Borghetti - Milonga Para as Missões ■ Allex - Esquilador ■ Dante Rámon Ledesma - América Latina ■ Allex - Cantiga de Rio e Remo ■ Leopoldo Rassier - Não Podemo se entregá pros Home ■ Leopoldo Rassie - Entardecer ■ Os Serranos - É disso que o velho gosta ■ Isabela Fogaça - Porto Alegre é demais ■ Kleiton & Kledir - Fonte da saudade ■ Kleiton & Kledir - Maria fumaça ■ Kleiton & Kledir - Deu pra ti ■ Kleiton & Kledir - Tô que tô ■ Kleiton & Kledir - Nem pensar TEMACAST NA RideFM O Temacast é reproduzido todas as 2ª feiras as 15:00h com reprise as 21:00h pela RideFM no endereço abaixo RideFM NOSSO GRUPO NO FACEBOOK Se você quer participar do nosso grupo basta ir em AQUI. Participando você poderá sugerir pautas, interagir com outros ouvintes do Temacast, participar de sorteios e saber com antecedência de várias coisas que ocorrerão num futuro breve.
Especial de férias: Esse é um episódio de férias. Aproveitamos para colocar a interação com nossos ouvintes em dia e de quebra matarmos a saudade. Nesse especial de férias também diminuímos a quantidade de emails para que no nosso retorno em março de 2017 o bloco de leitura de emails e comentários não fique muito grande, portanto, aproveitem e se atualizem sobre o que nossos ouvintes falaram a respeito de outros episódios passados. Enquanto não voltamos que tal ouvir as trilogias sobre os Beatles e sobre a Guerra do Paraguai? Lembramos ainda que se você desejar poderá participar também fazendo comentários nos posts dos episódios, enviando email através deste formulário, enviar uma mensagem de voz ou até mesmo nos avaliar na iTunes Store com 5 estrelinhas e um comentário que será lido no final dos programas... Saiba mais sobre isso ouvindo este Especial de Férias. PARTICIPANTES Francisco Seixas @temacast Jorge Virgílio (Facebook) VITRINE Thiago Gonçalves (concepção) MÚSICAS DESTE EPISÓDIO Carpenters - Please Mr. Postman Johnny Nash - I Can See Clearly Now Heart - Barracuda Michael McDonald - Sweet Freedom Kris Allen - To Make You Feel My Love Michael Zager Band - Let's All Chant Phd - I Won't Let You Down Modern Talking - Brother Louie The Doobie Brothers - Long Train Runnin' ( Cool Kat Mix ) NOSSA PLAYLIST NO SPOTIFY: Link NOSSO GRUPO NO FACEBOOK Se você quer participar do nosso grupo basta ir AQUI. Participando você poderá sugerir pautas, interagir com outros ouvintes do Temacast, participar de sorteios e saber com antecedência de várias coisas que ocorrerão num futuro breve.
Serviço Secreto Brasileiro (terceira e última parte): Aos 74 anos de idade, o ex-governador de MG e agora Presidente eleito do Brasil, Tancredo Neves, já estava gravemente doente quando havia lançado a sua candidatura. Ele padecia de uma infecção renal que lhe acompanhou durante a maior parte da campanha mas evitou procurar ajuda médica - escondendo até da família suas crises agudas de cólica abdominal - temendo que o seu atual estado de saúde o obrigasse a se submeter a um tratamento médico demorado ou mesmo a uma cirurgia, o que poderia impedir que ele assumisse a Presidência na data prevista: 15 de março de 1985. Tancredo acreditava que caso não assumisse os militares poderiam se ver tentados a mais uma aventura golpista e preferiu arriscar a vida do que o sonho de reempossar um civil no Palácio do Planalto após 21 anos de Ditadura. Contrariando amigos e o bom-senso Tancredo fez uma turnê internacional pela Europa, EUA, Argentina e Uruguai, voltando para o Brasil em 7 de março de 1985, uma semana antes da posse, portanto. No dia 13, já em Brasília para a cerimônia de posse, Tancredo começou a sentir fortes dores abdominais e dessa vez não conseguiu evitar uma consulta médica de emergência. Examinado pelos médicos, os exames sobre a saúde de Tancredo não foram conclusivos. Os médicos sugeriram uma cirurgia para saber o que ele tinha, mas ele preferiu esperar para depois da posse. No dia seguinte, na véspera da passagem do cargo, Tancredo acabou passando mal durante uma missa no Santuário Dom Bosco e teve que ser levado às pressas para casa. Com calafrios, febre e as pontas dos dedos arroxeadas, Tancredo já não conseguia andar e teve de ser internado... Saiba mais sobre isso ouvindo Serviço Secreto Brasileiro (terceira e última parte). PARTICIPANTES Francisco Seixas @temacast Igor Alcantara (igoralcantara) Jorge Virgílio (Facebook) FONTES Livro “O Ministério do Silêncio", de Lucas Figueiredo Artigo “De FHC a Lula: a militarização da Agência Brasileira de Inteligência”, de Jorge Zaverucha Outras fontes VITRINE Thiago Gonçalves (concepção) MÚSICAS DESTE EPISÓDIO Milton Nascimento - Carta à república Milton Nascimento - Certas canções Milton Nascimento - Coração de estudante Capital Inicial - Primeiros Erros Milton Nascimento - Sonho de Moço Milton Nascimento - Nos bailes da vida Tim Maia - Vale Tudo Milton Nascimento - Travessia Araketu - Mal acostumado Erasmo Carlos- Sentado à beira do caminho Mamonas Assassinas - Vira Vira Tim Maia - Acenda O Farol Cazuza - Ideologia Cazuza - Brasil Maria Bethania - Carcará Lobão - Pra Sempre Essa Noite Milton Nascimento - Caçador de Mim Titãs - Polícia NOSSA PLAYLIST NO SPOTIFY: Link NOSSO GRUPO NO FACEBOOK Se você quer participar do nosso grupo basta ir AQUI. Participando você poderá sugerir pautas, interagir com outros ouvintes do Temacast, participar de sorteios e saber com antecedência de várias coisas que ocorrerão num futuro breve.
California: Está localizada na costa oeste dos Estados Unidos e é banhada pelo Oceano Pacífico. Pode não parecer, já que se você olhar no mapa o estado é só uma tripinha, mas ele é o terceiro maior estado americano em área, ficando atrás do Alasca e do Texas. Em riqueza, ela está em primeiro lugar no país e é bem mais rica do que muitos países. O estado tem um produto interno bruto de 2.2 Trilhões de dólares por ano, o que equivale a 13% de todos os Estados Unidos e é maior que o PIB de quase todos os países do mundo, com exceção de 7: o próprio Estados Unidos, a China, o Japão, a Alemanha, a França, o Reino Unido e o Brasil. E essa lista vai mudar, porque acredita-se que já neste ano de 2015 supere o PIB do Brasil. Hoje o nosso PIB e o PIB da California é praticamente o mesmo. Pois é, isso quer dizer que ela é mais rica que a Itália, Rússia, Espanha e vários outros “ban ban bans” por aí. Falando sobre as regiões da California, resumidamente nós temos o Norte da California, onde fica San Francisco, todo o famoso Vale do Silício e a capital do estado, Sacramento e temos o Sul da California onde fica a segunda maior cidade dos EUA, Los Angeles e tem também San Diego, já na fronteira com o México. Essas são as principais cidades do estado: Los Angeles, San Francisco, San Diego e Sacramento. No quesito populacional, ela também é o estado mais populoso dos EUA, com 38 milhões de pessoas, tem 8 cidades dentre as mais populosas do país e com a segunda maior área metropolitana: Los Angeles, que tem quase 19 milhões de pessoas. Saiba mais sobre isso ouvindo este episódio... PARTICIPANTES Francisco Seixas @temacast Igor Alcantara (igoralcantara) FONTES Infoplease library.ca counties.org earthquake.usgs.gov missionscalifornia.com oldtownsandiego.org geologycafe.com luckypanner.com malakoff.com Outras fontes VEJA MAIS vídeo YouTube (Inglês) VITRINE Thiago Gonçalves MÚSICAS DESTE EPISÓDIO Dead Kennedys - California Über Alles Led Zeppelin - Going to California Ray Conniff - It Never Rains In California Harpo - San Francisco night Maroon 5 - Leaving California Chuck Berry - California Billy Scott - The Prophets 'California' Counting Crows - Los Angeles Lenny Kravitz - California Manfred Mann's Earth Band - California Eagles - Hotel California Roy Orbison - California Blue Ennio Morricone - A Fistful Of Dollars Ennio Morricone - The Good, The Bad and The Ugly The Mamas & The Papas - California Dreamin' Scott McKenzie - If You're Going To San Francisco U2 - California (There Is No End To Love) Marlena Shaw California Soul Beach Boys - California Girls Soul Kid - We got more bounce in California Red Hot Chilli Peppers - Californication The Adicts - California Rosa Maria - California Dreamin' NOSSO GRUPO NO FACEBOOK Se você quer participar do nosso grupo basta ir em AQUI. Participando você poderá sugerir pautas, interagir com outros ouvintes do Temacast, participar de sorteios e saber com antecedência de várias coisas que ocorrerão num futuro breve.
Guerra do Paraguai parte 2: O governo argentino esperava uma guerra rápida contra o Paraguai. Mitre havia prometido perante uma multidão que estaria “em 24 horas ao quartel, em quinze dias em Corrientes, em três meses em Assunção”. A promessa acabou não se cumprindo visto que o Exército argentino carecia de todo tipo de recurso possuindo apenas 2993 soldados na infantaria e 2858 na cavalaria. A artilharia contava com 540 homens e com obsoletos canhões fabricados em fins do século XVIII. Não havia corpos de engenharia e entre os oficiais havia também muita rivalidade. Para engrossar o efetivo argentino, tal como ocorreu no Exército brasileiro, foi alistada, contra a vontade, os condenados pela Justiça e homens endividados. Por exemplo, os “Voluntários de Córdoba” foram enviados para o combate atados uns aos outros por correntes para não fugirem. Em La Rioja, os homens se esconderam nas serras para não se alistarem, enquanto que os “Voluntários de Salta” se rebelaram ao chegar a Rosário, dando vivas ao Paraguai e gritando que não queriam lutar em união com os portenhos. Tanto em Buenos Aires quanto no interior, os membros da Guarda Nacional realizaram sorteios para definir aqueles que iriam para a guerra contra o Paraguai. Contudo, os mais ricos, tal como no Brasil, podiam contratar um personero, um substituto para representá-lo na guerra. Neste episódio, Guerra do Paraguai parte 2, falamos das suas principais batalhas. Saiba mais sobre isso ouvindo este episódio sobre a Guerra do Paraguai parte 2... PARTICIPANTES Francisco Seixas @temacast Igor Alcantara (igoralcantara) Jorge Virgílio (Facebook) FONTES Wikipedia, As causas da Guerra do Paraguai A guerra do Brasil (filme) A última guerra do Prata Livro Maldita Guerra, Francisco Doratioto Outras fontes VITRINE Thiago Gonçalves (concepção) MÚSICAS DESTE EPISÓDIO Vivandeira Pyhare - Alberto de Luque y Quemil Yambay Primavera - Amambay Cardozo Ocampo Che jazmin Paraguay Mi barquito de esquelita Lidia Mariana Che iru che reja A mi tierra - Perla del Paraguay 7 notas musicales de E.R.Fernandez Che mandu'avo - Anibal Lovera Nde juru mbyte - Anibal Lovera De lejos vengo - Quemil Yambay La ultima letra - Duo Qujntana Escalante Un tiempo era va'ekue chave - Duo Perez Peralta Kuña guapa - Duo Mongelos Torales Falso juramento - Rafael Vargas Ndajekehai de mi suerte - Rafael Vargas Despierta joven amada - Rafael Vargas Iñiru Kañyva - Triunfadores Carapegueños Ko'ere che mandu'a - Quemil Yambay Ka'aruete - Quemil Yambay Oda pasional - Duo Quintana Escalante Ko'eti jave - Duo Quintana Escalante Nde rechaga'u mainumbymi - Duo Quiñonez Moray Kuña Paraguay rembiasa asy - Duo Quiñonez Moray La cautiva - Tavarandu Mi sueño dorado - Tavarandu Siete notas musicales - Tavarandu Puerto Irala poty - Flaminio Arzamendia Ndaha'einte oñoirura - Duo Quiñonez Moray Nde mborayhu che cambia - Folk tres Seras dueña de mi vida - Grupo Magistral Jahechake mba'epa oiko che hegui - Duo Quiñonez Moray Ejujeyna Blanquita - Los Placenteros Punteada Okara Juan Carlos Oviedo y Los Hermanos Acuña - Pájaro Choguy J C Oviedo y Los Hermanos Acuña - Bajo el cielo del Paraguay NOSSA PLAYLIST NO SPOTIFY: Link NOSSO GRUPO NO FACEBOOK Se você quer participar do nosso grupo basta ir AQUI. Participando você poderá sugerir pautas, interagir com outros ouvintes do Temacast, participar de sorteios e saber com antecedência de várias coisas que ocorrerão num futuro breve.
Invasões Holandesas e a União Ibérica: Para contextualizarmos o período ao qual nos referimos se faz necessário dizer que o nordeste brasileiro era o maior produtor de açúcar do mundo no século XVII. Sendo o Brasil na época colônia era obrigado, pelo pacto colonial, a vender todo o açúcar produzido para Portugal. Este por sua vez, não vendia o açúcar diretamente para os consumidores e sim, vendia o mesmo para a Holanda que fazia a distribuição do produto por toda a Europa. Muito bem, depois deste breve resumo onde pode-se ver que Portugal ganhava sendo colonizador e atravessador e Holanda também ganhava tendo o monopólio de distribuição do açúcar, por que a Holanda viria a invadir o Brasil? Bom, é isso que vamos aprender neste episódio de hoje. Países baixos Neste período histórico possui vários atores importantes. Além de Espanha e Portugal, tem o território conhecido como “Países Baixos”. Antes de falar porque eles são importantes, vamos definir o que são os Países Baixos, que em holandês se pronuncia mais ou menos como “Nei-der-land” (país baixo). Nos Séculos XV e XVI, a Holanda era parte das chamadas 17 províncias, que corresponde mais ou menos ao que hoje são os territórios da Holanda, Bélgica, Luxemburgo, norte da França (na região de Calais) e uma porção pequena do oeste da Alemanha... Saiba mais sobre isso ouvindo este episódio... PARTICIPANTES Francisco Seixas @temacast Igor Alcantara (igoralcantara) Matheus (professor barbado) cabinedotempo.com.br, deviante.com.br FONTES Vídeo 1 parte 1/2 Vídeo 1 parte 2/2 Video 2 Conhecimento particular dos participantes VITRINE Concepção: Thiago Gonçalves MÚSICAS DESTE EPISÓDIO Hino Nacional da Holanda 1 Hora de música épica Two Steps from Hell Volumen 1 (YouTube) Enigma - Mea Culpa Hino Nacional da Espanha Hino Nacional de Portugal 10 Canciones Épicas Para Tus Vídeos 1 (YouTube) Era - Impera Carpenters - Please, Mr. Postman Popa Chubby Black Coffee Blues Band - Messin' With The Kid Chris Isaak - Dixie Fried D*Note - D*Votion DAB - Delayed Creedence Clearwater Revival - It's Just A Thought Creedence Clearwater Revival - Have You Ever Seen The Rain   NOSSA PLAYLIST NO SPOTIFY: Link INDICAÇÃO DE LIVRO NO CAST A Guerra dos Hereges - O Grande Romance Histórico da Invasão Holandesa a Pernambuco, por Aydano Roriz (Romance Histórico Brasileiro) NOSSO GRUPO NO FACEBOOK Se você quer participar do nosso grupo basta ir em AQUI. Participando você poderá sugerir pautas, interagir com outros ouvintes do Temacast, participar de sorteios e saber com antecedência de várias coisas que ocorrerão num futuro breve.
Corrupção na Ditadura: O último período do Brasil sob comando dos militares ocorreu após o golpe de Estado em março de 1964 e durou até 1985, com a saída do general João Baptista Figueiredo. O regime foi marcado pelas restrições ao trabalho do Legislativo e do Judiciário, blindagem do Executivo e, consequentemente, de todas as instituições civis e militares subordinadas ao governo federal, censura à imprensa e repressão à sociedade civil. Os ouvintes que quiserem saber mais sobre o regime militar poderão ouvir o episódio #04 do Temacast. O historiador Pedro Henrique Pedreira Campos afirma: “A falta de fiscalização autônoma a agentes públicos praticamente impedia o combate à corrupção. "Era um cenário ideal para práticas corruptas", diz o autor do livro "Estranhas Catedrais - As Empreiteiras Brasileiras e a Ditadura Civil-militar", que aborda a ligação das empresas de construção com o regime. E continua: "Isso de dizer que havia menos corrupção é uma falsa impressão. Não é que eram menos casos, pelo contrário. É que a denúncias eram menos publicadas. Os mecanismos de fiscalização eram bem menos eficientes. A imprensa estava cerceada, censurada, várias empresas foram forçadas à falência. A pequena imprensa foi duramente perseguida". "Os mecanismos do Estado também eram ineficientes. O Congresso ficou fechado algumas vezes; dentro da oposição oficial, o MDB (Movimento Democrático Brasileiro), quem não seguisse a linha poderia ser cassado pelo AI-5. A Polícia Federal e o Ministério Público eram usados para finalidades diretas da ditadura; a margem de independência do Judiciário era muito pequena. Era um cenário montado para impedir contestação."... Saiba mais sobre isso ouvindo este episódio... PARTICIPANTES Francisco Seixas @temacast Igor Alcantara (igoralcantara) Marcelo Torres (Papo Alpha) FONTES Corrupção na ditadura (UOL) Memórias da Ditadura Livro Estranhas Catedrais Livro A ditadura Encurralada Temacast #04 - Regime Militar VÍDEOS Motivos para não querermos os militares no comando Liberdade de imprensa - Gal Newton Cruz (Tratamento dado a um repórter) Guerra de palavras: entrevista com o Gal Leônidas Pires Gonçalves Que história é essa Newton Cruz? VITRINE Thiago Gonçalves MÚSICAS DESTE EPISÓDIO Originais Do Samba - Se Gritar Pega Ladrão Aerus - Me dá um dinheiro aí João Bosco - Bala com bala Chico Buarque - Hino Da Repressão Caetano Veloso - Podres Poderes Elza Soares - Mas que nada Chico Buarque - Roda viva Caetano Veloso - O Quereres Chico Buarque - Corrente Gonzaguinha - Comportamento geral Chico Buarque - Vai passar Chico Buarque - Apesar de você Chico Buarque - Tema de "Os inconfidentes" Chico Buarque - Bye bye Brasil Chico Buarque - Pelas tabelas Gonzaguinha - Vamos à Luta Chico Buarque - Cálice Bezerra da Silva - Vírus da Corrupção Cássia Eller - Malandragem Cássia Eller - Lanterna dos Afogados Jota Quest - As Dores Do Mundo Legião Urbana - Que País é Este Tim Maia - Vale tudo Gilberto Gil - Realce   NOSSA PLAYLIST NO SPOTIFY: Link NOSSO GRUPO NO FACEBOOK Se você quer participar do nosso grupo basta ir em AQUI. Participando você poderá sugerir pautas, interagir com outros ouvintes do Temacast, participar de sorteios e saber com antecedência de várias coisas que ocorrerão num futuro breve.
Depressão: O que dizer da dor que não pode ser dita? Sem causa ou natureza definíveis, sem possibilidade de compreensão? Dor do nada, simplesmente do vazio de existir, indescritível, incomensurável, e que, por isso mesmo, chama em vão a palavra? Muitos falaram dela, para dizê-la, traduzí-la ou minora-la usaram termos como: tristeza, trevas, sombras sem fim, sol negro, nevoeiro, tempestade em céu sereno, certeza infeliz, apatia, tédio… Aristóteles e outros estavam seguros de que era uma admirável condição da mente, associada à inteligência, à genialidade e à criatividade. Hoje a melancolia cede terreno à depressão, que implica diminuição, redução e decréscimo. Mas o que de fato define, indica ou revela essa forma de marcar tristeza? Como se transforma em doença a dor de existir? É comum as pessoas pensarem na depressão como tristeza e associar episódios e comportamentos isolados, que na verdade podem ser apenas episódios de ansiedade ou mesmo um luto que se estende um pouco mais do considerado normal. Também é comum pessoas falarem que depressão é apenas “frescura”, falta do que fazer, e que o deprimido não está “doente de verdade”. Podem associar a características isoladas da depressão e não compreender que o deprimido precisa de ajuda profissional e também suporte e apoio dos amigos e familiares. O senso comum também associa a depressão imediatamente ao suicida, mesmo que por vezes, não haja intenção suicida por parte do deprimido. Muita gente associa a depressão a uma “personalidade fraca”. O deprimido, no senso comum, pode ser alguém ligado a problemas espirituais, um pessimista ou alguém "mimado", que não sabe lidar com responsabilidades da vida adulta, do cotidiano. Por essas observações, é fácil notar o quanto o deprimido é julgado pela sua condição e o quanto as pessoas, em geral, são leigas quanto a esse tipo de distúrbio... Saiba mais sobre isso ouvindo este episódio... PARTICIPANTES Francisco Seixas @temacast Igor Alcantara (igoralcantara) Juliana Torres (Facebook) Faísca e Fumaça - cachorrinhos da Juliana ainda sem site, Facebook e outros :-) FONTES Depressão e Melancolia, Urania Tourinho Peres Wikipedia Transtorno bipolar Depressão pós-parto VEJA MAIS FILMES SOBRE O ASSUNTO Melancolia - do Lars Von Trier Terapia de risco - Steven Soderbergh - critica sobre medicação. As vantagens de ser invisível - depressão na adolescência. Reine sobre mim - filme sobre superação do luto As horas - 3 historias em diferentes épocas sobre Depressão. Requiem para um sonho - filme sobre depressão e drogas . O estranho em mim - depressão pós parto. O lado bom da vida - depressão dentro da bipolaridade. Dépression et des potes - comédia francesa na Netflix que trata sobre a ajuda dos amigos de um deprimido   VITRINE Thiago Gonçalves MÚSICAS DESTE EPISÓDIO Queen - Under Pressure Radiohead - Creep Coldplay - A Sky Full Of Stars Radiohead - Fake Plastic Trees Coldplay - Yellow Coldplay - The Scientist Coldplay - Midnight Coldplay - Magic Coldplay - Paradise Coldplay - In My Place The Smashing Pumpkins - Mellon Collie and the Infinite Sadness Coldplay - Viva La Vida Radiohead - No Surprise Radiohead - How to disappear completely Radiohead - There There Aerosmith - Crazy Bryan Ferry - Make you feel my love Cliff Richard - We Don't Talk Anymore Kim Carnes - Bette Davis Eyes Falko - Der Komissar Creedence Clearwater Revival - Proud Mary Deep Purple - Smoke On The Water NOSSA PLAYLIST NO SPOTIFY: Link NOSSO GRUPO NO FACEBOOK Se você quer participar do nosso grupo basta ir em AQUI. Participando você poderá sugerir pautas, interagir com outros ouvintes do Temacast, participar de sorteios e saber com antecedência de várias coisas que ocorrerão num futuro breve.
Breve história da língua portuguesa: poucas pessoas estão conscientes da extensão da história e da cultura portuguesa, desde o seu desmembramento do latim até à sua primeira aparição escrita. Da Idade Média até a Modernidade, com o aparecimento de novos dialetos nas antigas colônias portuguesas. Atualmente, a língua portuguesa é instituída como oficial em Portugal, Guiné-Bissau, Angola, Cabo Verde, Brasil, Moçambique, Timor Leste, São Tomé e Príncipe e Guiné Equatorial. Além disso, desde 1986, quando Portugal passou a integrar o bloco, o português é uma das línguas oficiais da União Europeia. Apesar de os países citados terem o português como língua oficial, excetuando-se Portugal e Brasil, há diferentes graus em que o português é de fato sua língua vernácula: muitas vezes, ele está lado a lado com línguas locais e outras tantas vezes é aprendido apenas na escola, tendo como centro áreas urbanas. Devido essencialmente ao Brasil e aos seus mais de 200 milhões de habitantes, o português é hoje a segunda língua latina mais falada do mundo, perdendo apenas para o espanhol. Pela mesma razão, é a segunda língua mais falada da América Latina e a terceira de todo o continente americano, perdendo além do espanhol para o inglês. Breve história da língua portuguesa No mundo todo, pode ser considerada a quinta língua mais falada do planeta, perdendo além do inglês e do espanhol para o putonghua, o principal dialeto chinês, vulgarmente conhecido como mandarim no Ocidente, e para o hindi (indi), o principal dialeto indiano. Atualmente, mais de 250 milhões de pessoas no mundo falam português, sendo 80% desse total brasileiros. Em Portugal, país de origem da língua, existem cerca de 10 milhões de falantes. Estima-se que também haja cerca de 8 milhões de falantes de português na África (Angola, Cabo Verde, Guiné Equatorial, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe)... Saiba mais sobre isso ouvindo Breve história da língua portuguesa. AJUDE O TEMACAST A CRESCER Patreon Apoia.se PARTICIPANTES Francisco Seixas @temacast Jorge Virgílio (Facebook) FONTES USP LIVRO: COUTINHO, Ismael de Lima. Gramática Histórica. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1976. LIVRO: SARAIVA e LOPES, António José e Oscar. História da Literatura Portuguesa. Editora Porto: 8ª ed. 1975. LIVRO: TEYSSIER, P.História da língua portuguesa. São Paulo: Martins Fontes, 1997. LIVRO: SILVA NETO, S. Capítulos de história da língua portuguesa no Brasil. Rio de Janeiro: Dois Mundos, 1946 LIVRO: MATTOSO-CÂMARA JR., J. História e Estrutura da língua portuguesa.2. ed. Rio de Janeiro: Padrão, 1976 LIVRO: ILARI, R.; BASSO, R. O português da gente: a língua que estudamos, a língua que falamos. São Paulo: Contexto, 2006. LIVRO: Gonçalves, Rodrigo Tadeu História da língua / Rodrigo Tadeu Gonçalves, Renato Miguel Basso. – Florianópolis : LLV/CCE/UFSC, 2010. Outras fontes DOCUMENTÁRIO SOBRE A LÍNGUA PORTUGUESA Língua: Vidas em português (YouTube) TRANSCRIÇÃO DO ÁUDIO Equipe de Transcrição: Karla Michelle Braga - Facebook Fernanda Marini - Twitter: @femarini Link: Em andamento VITRINE Thiago Gonçalves (concepção) MÚSICAS DESTE EPISÓDIO 2 horas de Música Tradicional Portuguesa Instrumental NOSSA PLAYLIST NO SPOTIFY: Link NOSSO GRUPO NO FACEBOOK Se você quer participar do nosso grupo basta ir AQUI. Participando você poderá sugerir pautas, interagir com outros ouvintes do Temacast, participar de sorteios e saber com antecedência de várias coisas que ocorrerão num futuro breve. ASSINAR Feed | iTunes | Android | Email
A Mulher na Literatura Brasileira: Com a evolução da história, a mulher passou por transformações em várias instâncias: moral, afetiva, econômica, intelectual, etc. Tais transformações foram importantes para definir a posição da mulher na sociedade. Como é de conhecimento de muitos, até o século XIX, as mulheres viviam em sua maioria enclausuradas. Sem o direito de aprender a ler, escrever ou votar. No Brasil, por exemplo, a primeira legislação autorizando as mulheres a frequentar escolas elementares data de 1827. E somente 50 anos mais tarde, em 1879, que as mulheres foram autorizadas a frequentar o ensino superior no país. O direito a voto só viria no século seguinte, em 1932, durante o governo provisório de Vargas (2ª República). Mas, como ficava a mulher na literatura brasileira? Bem, as mulheres daquela época eram criadas para serem boas mães, boas donas de casa e para obedecerem: primeiramente aos pais, quando solteira, e mais tarde, ao marido, quando já fossem casadas. E para obedecer elas não precisavam - nem deveriam - ser cultas ou intelectuais. Precisavam, sim, saber lavar, cozinhar, costurar, cuidar de crianças, etc Saiba mais sobre isso ouvindo este episódio sobre A mulher na literatura brasileira... PARTICIPANTES Francisco Seixas @temacast Igor Alcantara (igoralcantara) Jorge Virgílio (Facebook) Ana Lúcia Merege blogs: Castelo das águias e Estante mágica, Wattpad PAUTA Maria Freire (blog) FONTES LIVRO: ROMANELLI, Marina. A representatividade feminina na literatura brasileira contemporânea/ Marina Romanelli – Rio de Janeiro; UFRJ/ECO, 2014. Heloisa Buarque de Holanda Conversa de Português Outras fontes VITRINE Thiago Gonçalves (concepção) MÚSICAS DESTE EPISÓDIO Joyce - Feminina Ataulfo Alves - Ai! que saudade da Amélia Benito De Paula - Mulher Brasileira Cassia Eller - Palavras ao vento Maria Rita - Pagu Oswaldo Montenegro - Me ensina a escrever Rita Lee - Todas Mulheres do Mundo! Caetano Veloso - Livros Lysia Condé - Corta Jaca Simone - Leão Ferido Carpenters - Please Mr. Postman The Doobie Brothers - Listen to the Music Duran Duran - Come Undone NOSSA PLAYLIST NO SPOTIFY: Link NOSSO GRUPO NO FACEBOOK Se você quer participar do nosso grupo basta ir AQUI. Participando você poderá sugerir pautas, interagir com outros ouvintes do Temacast, participar de sorteios e saber com antecedência de várias coisas que ocorrerão num futuro breve.
Rate Podcast

Recommend This Podcast

Recommendation sent

Followers

1

Join Podchaser to...

  • Rate podcasts and episodes
  • Follow podcasts and creators
  • Create podcast and episode lists
  • & much more

Podcast Details

Started
Aug 30th, 2014
Latest Episode
May 10th, 2020
Release Period
Weekly
No. of Episodes
272
Avg. Episode Length
About 1 hour
Explicit
No

Podcast Tags

Do you host or manage this podcast?
Claim and edit this page to your liking.
Are we missing an episode or update?
Use this to check the RSS feed immediately.